terça-feira, 19 de setembro de 2017

Legend Ecoville, em Curitiba, é certificado AQUA-HQE Habitacional com consultoria em sustentabilidade EcoBuilding

O Legend Ecoville é um empreendimento residencial de alto padrão lançado pela A.Yoshii, tradicional incorporadora e construtora paranaense, em Curitiba.

O empreendimento foi certificado nas fases de Pré-Projeto e Projeto pelo processo de certificação ambiental AQUA-HQE Habitacional, promovido pela Fundação Vanzolini, com consultoria da EcoBuilding.

O edifício terá uma única torre de apartamentos, um por andar, e fica localizado no bairro de Ecoville, região nobre de Curitiba. A região inclusive favorece o processo de certificação do empreendimento por dispor de muitos serviços próximos, transportes públicos de qualidade e amplas áreas verdes.

Uma legislação local define a obrigatoriedade da manutenção da vegetação nativa existente em 70% das áreas dos terrenos. Com isto, ficam garantidas elevadas taxas de permeabilidade e qualidade ambiental do ar, baixo impacto ambiental das obras, redução do nível de ruído urbano, além da qualidade do aproveitamento da luz natural e das vistas.

O projeto do empreendimento prevê várias soluções e especificações de materiais, acabamentos e equipamentos que também favorecem elevados níveis de desempenho ambiental, eficiência operacional e conforto dos futuros usuários.

Nas auditorias das fases de Pré-projeto e Projeto (foto) as auditoras da Fundação Vanzolini destacaram o nível de comprometimento, tanto do incorporador quanto da equipe de projetistas e consultores (dentre os quais a EcoBuilding), na busca dos melhores resultados possíveis para o desempenho ambiental do empreendimento.

Vejam nos quadros que seguem resumo das características do projeto que favoreceram a certificação AQUA-HQE do empreendimento, nesta fase do processo:






Eu costumo comentar, em aulas e consultorias, que a adoção de uma certificação ambiental de empreendimentos não deve ser vista como um fim em si mesma, mas sim como resultado ou consequência natural de um processo de produção de empreendimentos bem feito.

Se a coisa toda é bem conduzida, com boa gestão, boas práticas de projeto e obras, cuidado e comprometimento no cumprimento de normativas técnicas e procedimentos de controle e gestão, então, seja qual for o sistema de certificação a ser adotado, ela será conquistada sem esforço adicional, como um prêmio por todo o processo bem realizado.

O Legend Ecoville é um exemplo claro disto. Parabéns à A.Yoshii e toda equipe de profissionais envolvidos. Estamos felizes em fazer parte deste time.

Para mais informações sobre os serviços de consultoria em construção sustentável da EcoBuilding, acesse: www.ecobuilding.com.br.

segunda-feira, 18 de setembro de 2017

Entrevista com Kimberly Lewis, Vice-Presidente do USGBC, sobre a GreenBuild Boston 2017

A GreenBuild Conference & Expo é o maior evento de Construção Sustentável do mundo.

É promovida pelo USGBC, órgão criador da certificação LEED, e ocorre nos EUA, a cada ano em uma cidade distinta. Em 2017, o evento será em Boston e a delegação brasileira está sendo promovida pelo Departamento de Comércio do Consulado dos Estados Unidos no Brasil, com organização da ArqTours e apoio do GBC Brasil.
Kimberly Lewis é Vice-presidente do USGBC e esteve recentemente em São Paulo participando da feira Greenbuilding Brasil, promovida pelo GBC Brasil, no início do mês de agosto 2017. Ela esteve no stand da EcoBuilding Consultoria na feira, onde tivemos oportunidade de gravar esta breve entrevista sobre a conferência de Boston.

Confira no vídeo que segue:

Para mais informações sobre o programa da Missão Técnica Greenbuild Boston 2017: www.arqtours.com.br.

O ex-Presidente Bill Clinton foi confirmado como palestrante na GreenBuild 2017

O ex-Presidente Bill Clinton foi confirmado como palestrante na plenária de encerramento da GreenBuild 2017, que ocorrerá em Boston, em novembro.

Após ter deixado a Casa Branca, o ex-Presidente criou a Clinton Foundation para continuar a trabalhar em causas com as quais se importa. Desde então, a Fundação Clinton tem promovido ações para ajudar a construir comunidades mais resilientes, através do desenvolvimento e implementação de programas para melhorar a saúde, fortalecer economias locais e a proteção ao meio ambiente (incluindo construções e cidades sustentáveis), em todo o mundo, inclusive no Brasil.

A delegação brasileira para o evento, maior do mundo na área de Green Building, é organizada com apoio do consultado americano no Brasil e do GBC Brasil. E você, profissional da área, também pode participar. 

Além da conferência, a agenda técnica da missão prevê ainda visitas a empreendimentos de referência, certificados LEED e WELL, em Boston e região.

Garanta a sua vaga. Mais informações e reservas:

ArqTours, by Raquel Palhares
Arq. Raquel Palhares: 

(11) 99285 4554



Veja também:

Entrevista com Kimberly Lewis, Vice-Presidente do USGBC, sobre a GreenBuild Boston 2017


quinta-feira, 14 de setembro de 2017

Escritório Studio Sol, em Belo Horizonte, é certificado LEED CI com consultoria EcoBuilding

Reproduzo aqui artigo publicado originalmente pela ARCOweb em 11 de Setembro de 2017, a partir de matéria da Revista Projeto. Trata-se de um trabalho do qual fizemos parte, pela EcoBuilding, atuando na consultoria para o processo de certificação LEED Commercial Interiors, concluído em Agosto de 2017, tendo alcançado a certificação LEED ID+C Silver para o empreendimento.

Inspiração musical

Localizado na capital mineira, o novo escritório do Studio Sol se destaca pela tecnologia de ponta aplicada na arquitetura


O escritório Todos Arquitetura, formado pelos sócios Fabio Mota, Lais Delbianco e Mauricio Arruda, projetou a nova sede do Studio Sol - empresa brasileira de tecnologia que comanda sites de música - em parceria com o arquiteto Guto Requena.
O espaço de 500 metros quadrados situado em um edifício em Savassi, bairro nobre da região centro-sul de Belo Horizonte, foi pensado para ser a segunda casa dos 60 funcionários do Studio Sol. A estratégia foi aplicar tecnologia de ponta na arquitetura e desenvolver várias tipologias para ambientes de trabalho, o que acasionou a estética dinâmica da proposta. 



O conceito principal, segundo memorial do projeto, foi representar as ondas sonoras por meio de elementos do forro, formando ondulações que são o ponto focal do espaço central.

“Formado por caixas de madeira em diferentes tamanhos, o forro, além de possuir propriedades acústicas, conta também com iluminação automatizada que se transforma de acordo com o cenário desejado”, revela o texto.

A paginação do forro foi pensada de acordo com
a concentração de pessoas: nas áreas com maior aglomeração, as caixas são mais baixas e adensadas; já nas áreas de circulação elas são mais altas e pulverizadas. Adotou-se a mesma lógica para o piso, que é mais claro nos espaços mais cheios e vai escurecendo nos arredores.

O programa de necessidades está dividido em recepção, ilhas de trabalho para os colaboradores de cada site, salas para reuniões formais e informais, ambientes mais reservados e área para descompressão (copa, cozinha e sala de TV).

Apesar de existir esse espaço específico voltado ao lazer, o projeto arquitetônico buscou criar ambientes descontraídos e que incentivassem a integração por todo o escritório. Em torno da grande área aberta de trabalho, por exemplo, há sofás, vegetação e iluminação adequados ao objetivo.

A principal sala de reunião foi concebida como um aquário de vidro. Suas cortinas automatizadas ora revelam, ora escondem seu conteúdo: tecnologias de áudio e vídeo, mobiliário de apoio a reuniões e iluminação dimerizável.

Diferentemente do forro dos espaços mais abertos, as salas reservadas fazem referência mais direta à música ao receber instrumentos musicais atirantados ao teto, que permitem um visual lúdico.

A tecnologia fica ainda mais evidente no acesso aos banheiros, que conta com um corredor retroiluminado com linguagem de
programação de computadores. Dentro dos toaletes esse recurso utiliza a cor da luz, que se modifica de acordo com o consumo de água, para alertar para o seu uso consciente.

Por suas soluções energéticas, desde a iluminação até os eletrodomésticos e computadores, o projeto recebeu a certificação LEED - Selo Prata.

Ficha Técnica:Studio Sol
Local: Belo Horizonte, MG
Início do projeto: 2016
Conclusão da obra: 2017
Área de intervenção: 500 m²
Arquitetura:
Todos Arquitetura (autor); Studio Guto Requena (coautor)
Design de interiores: Todos Arquitetura
Paisagismo: Todos Arquitetura
Luminotécnica: Estúdio Carlos Fortes
Consultoria: acústica Paim
Hidráulica, elétrica e incêndio: Install Engenharia
Climatização: Climatizar
Automação: Sense
Segurança: Teleatlantic
Consultoria ambiental: Ecobuilding
Fotos: Gabriel Castro


Fornecedores:
Uni Construtora
Interface floor
Owa Revestimentos Acústicos
Vitrale
Concresteel
Nani Chinelato
Kvadrat
Vitra
Herman Miller
Flos
Foscarini
Lumini
Formica
Securit
Galeria LumeNicole Toldi
Jaqueline Terpins
Beatriz Maranhão
Ovo Design
Luis Guimarães
Jader Almeida
Tidelli
JRJ
Codex
Henrique Steyner
Santa Mônica Tapetes



Acrescento ainda créditos para os profissionais da EcoBuilding Consultoria que atuaram no projeto (à direita, fotos de minha autoria, de Setembro 2017):
Consultores de Sustentabilidade:
Arq. Marina Risse, LEED AP BD+C
Arq. Eliza Mauro, LEED AP ID+C

Arq. Larissa Murakami, LEED AP BD+C
Eng. Luis Junqueira, LEED GA


Consultoria de Eficiência Energética:
Arq. Pablo Hidalgo


(Na foto ao lado, estou com Samuel Vignoli, sócio proprietário do Studio Sol)

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Palestra Floripa EkoHouse: um caso Referencial GBC Casa - EcoBuilding Consultoria - Expo GBC 2017

A Floripa EkoHouse é uma casa sustentável, em Florianópolis, buscando certificação ambiental pelo Referencial GBC Brasil CASA, com consultoria de sustentabilidade da EcoBuilding Consultoria.

Na edição de 2017 da Expo Green Building Brasil, conferência realizada anualmente pelo Green Building Council Brasil, os arquitetos Antonio Macedo e Larissa Murakami, ambos LEED AP's, da EcoBuilding e Fernanda Dutra, proprietária da casa, fizeram uma apresentação do projeto e compartilharam experiências sobre o processo de certificação da Floripa EkoHouse.

Assista em vídeo resumo da palestra:


Imagens do projeto da Floripa EkoHouse:




Para saber mais sobre projetos sustentáveis da EcoBuilding acesse: www.ecobuilding.com.br.

segunda-feira, 17 de julho de 2017

terça-feira, 11 de julho de 2017

Missão Técnica CTBUH Austrália 2017

Missão Técnica Austrália 2017
Promovida pela representação do Brasil do CTBUH com organização ArqTours
CTBUH International Conference
Sydney e Melbourne, 26 de Outubro a 04 de Novembro 2017

O CTBUH – Council on Tall Buildings and Urban Habitat realiza anualmente a CTBUH International Conference, que este ano ocorrerá entre os dias 30 de Outubro e 03 de Novembro de 2017, em Sydney e Melbourne, duas cidades australianas que são consideradas modelos de integração urbana e desenvolvimento sustentável.

O evento deste ano, cujo tema é "Conectando as Cidades", apresenta uma extensa agenda de apresentações e discussões técnicas com profissionais internacionalmente conhecidos, envolvidos com projetos de empreendimentos de referência em todo o mundo, sobre as questões que envolvem o desenvolvimento de projetos e empreendimentos que favoreçam a qualidade de vida e o desenvolvimento sustentável das cidades.

Trata-se de um evento internacional de alto nível, promovido há décadas por uma das mais respeitadas instituições do setor da construção no mundo. Mais informações em: www.ctbuh2017.com.

Na agenda da missão, além da participação na conferência CTBUH 2017, teremos também visitas e roteiros exclusivos para a delegação brasileira. Vamos conhecer as duas mais importantes cidades da Austrália com a visão e o cuidado que diferenciam os programas organizados pela ArqTours.

Investimento: (Tarifas em condições para grupo de pelo menos 15 pessoas, com cotação para Julho 2017):

Parte terrestre: Apto Duplo: US$ 1.780,00
Suplemento para Apto Individual: US$ 952,00
Parte aérea: US$ 1.785,00 + tx. embarque
Saída: 26 de Outubro 2017
Retorno: 04 de Novembro 2017
(Guarulhos - São Paulo)

Consulte formas de pagamento e opções de saídas de outras cidades. Para o programa completo e outros detalhamentos, clique aqui.

Mais Informações e Adesões: Arq. Raquel Palhares +55 11 9 9285 4554 raquel@arqtours.com.br As vagas são limitadas. Garanta logo a sua!

Sobre a ArqTours:
Especializada em Planejamento de Viagens Especiais, Profissionais, de Negócios e Missões Técnicas para Arquitetura e Construção Civil, nossa missão é proporcionar experiências únicas e exclusivas a cada nova Viagem. Oferecemos os melhores serviços em viagens de negócios e culturais, com roteiros especiais e customizados, sempre com acompanhamento e orientação adequadas, fazendo de sua viagem uma experiência única, associando negócios, lazer e cultura na medida certa.

Em nossas Missões Técnicas, Arquitetos, Designers, Engenheiros, Incorporadores e Construtores participam de feiras, congressos e outros eventos internacionais da área e ainda desfrutam de programações exclusivas de visitas técnicas durante a viagem, enriquecendo e agregando valor aos profissionais e customizando tempo e recursos. O Planejamento é criterioso e as programações técnicas são de alto nível e alinhadas com o foco específico de cada feira dentro do segmento. Nossas viagens profissionais podem ser customizadas também para grupos fechados. Em nossos Roteiros Especiais, transformamos a sua viagem numa experiência única, com um planejamento minucioso e detalhado e roteiros que fogem ao convencional e surpreendem pela sua originalidade e exclusividade.

Breve história do CTBUH

O Council on Tall Buildings and Urban Habitat (Conselho de Edifícios Altos e Habitat Urbano) foi fundado pelo Sr. Lynn S. Beedle em 1969 na Lehigh University em Bethlehem, Pennsylvania, Estados Unidos da América.
O objetivo era estudar e propor soluções para as cidades, cada vez mais populosas e complexas, com cada vez maior demanda por espaços construídos, serviços e modos de vida de qualidade.
Até 1976, o CTBUH era conhecido como o Comitê dos Edifícios Altos, um grupo professional originalmente formado pela IABSE - International Association of Bridge and Structural Engineers (Ass. Internacional de Engenheiros de Pontes e Estruturas) e a ASCE - American Society of Civil Engineers (Ass. Americana de Engenheiros). Com o resultado do incremento das atividades de planejamento e pesquisa ambiental, também passaram a se juntar entidades como AIA – American Institute of Architects, o American Planning Association e a UIA – União Internacional de Arquitetos, dentre muitas outras, de todo o mundo.
Em 2003, o CTBUH mudou a sua sede para o Illinois Institute of Technology (IIT) em Chicago, EUA. Os 13 anos seguintes viram um tremendo crescimento do Conselho, com a abertura do Escritório de Pesquisas Acadêmicas baseado na Universidade de Iuav, em Veneza, Itália, em 2014 e o do escritório asiático na Tongji University, em Xangai em 2015. Em 2016, lidando com a falta de espaço disponível na IIT, o conselho passou basear seu escritório no histórico edifício Monroe, no centro de Chicago, mantendo o centro de pesquisas acadêmicas no espaço que ocupava no campus da IIT. 
A conferência internacional do CTBUH é um evento anual, itinerante, e congrega milhares de profissionais de todo o mundo, de diversos setores públicos e privados, acadêmicos e empresariais, para discussões e apresentações sobre o desenvolvimento de projetos de relevância para os ambientes urbanos e a qualidade de vida nas cidades, em todo o mundo.



segunda-feira, 10 de julho de 2017

Brasil supera a Alemanha em ranking de construções sustentáveis

Por Anaís Fernandes, para a Folha de São Paulo
Publicado em Folha Online, em 28/04/2017

Equilibrar a incidência de calor externo em um imóvel, a necessidade de iluminação e os gastos com ar-condicionado é uma equação que arquitetos e engenheiros pelo mundo estão constantemente tentando resolver em busca da maior eficiência. E os brasileiros não têm se saído mal na tarefa.
Em dez anos até o último balanço de 2017, o país passou de zero para 393 edificações com a certificação Leed (Leadership in Energy and Environmental Design), criada pela ONG U.S. Green Building Council. Em 2016, o Brasil aparecia em quarto lugar no ranking, com 7,43 milhões de metros quadrados certificados, à frente de potências como a Alemanha (7º).
"Existe até uma competição saudável entre os edifícios", diz Felipe Aflalo, sócio do escritório Aflalo/Gasperini Arquitetos, que tem mais de 20 projetos com selo Leed e Aqua (aplicado no Brasil pela Fundação Vanzolini).
O BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) tem uma linha de crédito na qual financia até 80% do custo de projetos com focos como geração distribuída e edificações (condicionamento de ar, iluminação, fachadas). O valor mínimo aprovado é R$ 5 milhões, e o banco liberou R$ 545,2 milhões entre 2010 e 2016.
"Nosso público tradicional são distribuidoras de energia. No início do ano, porém, houve uma reorientação política. Queremos atender desde uma grande companhia até as pequenas e médias", diz Carla Primavera, superintendente da área de energia do BNDES.
Para Edward Borgstein, da consultoria em eficiência energética Mitsidi, é preciso investir na melhor operação dos edifícios já existentes. "Com um diagnóstico, conseguimos identificar potencial de até 20% de economia de energia." Muitas mudanças têm custo zero, como explorar a ventilação natural. "Outras requerem investimento, como a troca do sistema de ar-condicionado, que pode custar R$ 1 milhão", afirma.
Parâmetros
O Brasil aprimora ainda iniciativas para orientar usuários e administradores dos edifícios. Em 2010, o Inmetro criou um programa de etiquetagem para avaliar o desempenho energético de projetos e edificações prontas: 4.628 já foram analisados. Nos mesmos moldes dos produtos de linha branca, prédios com melhor desempenho ganham o selo Procel Edifica.
Por enquanto, submeter-se à avaliação é voluntário, mas a tendência é que se torne obrigatório. "Creio que isso deva ocorrer em dez anos", diz Jefferson Alberto Prestes, analista executivo de metrologia e qualidade do Inmetro.
Em outra frente, o Conselho Brasileiro de Construção Sustentável desenvolve a Plataforma de Cálculo de Benchmarking Energético de Edificações (benchmarking
energia.cbcs.org.br). Fornecendo dados simples, como valor da conta de luz e área do prédio, é possível avaliar o desempenho energético.

"Está disponível para agências bancárias e edifícios corporativos, e estamos trabalhando com prédios públicos", diz Roberto Lamberts, da comissão técnica do conselho de construção sustentável e docente na UFSC.
Tudo de Transforma
De tecnologias importadas a clássicos da arquitetura, soluções aumentam o aproveitamento energético das edificações
·    1. Sobe e desce
O movimento do elevador pode gerar energia. Ímãs no contrapeso do elevador passam por bobinas fixadas na parede do poço, criando um campo eletromagnético que gera eletricidade;

2. Grife
Na escolha de eletrodomésticos, opte por equipamentos com etiquetagem A do Inmetro em eficiência energética;

3. Segunda pele
A fachada ventilada consegue reduzir de 30% a 50% a temperatura interna. Sem vedação completa nas partes inferior e superior, ela cria uma lâmina de ar e permite o "efeito chaminé" –o ar mais quente sobe, enquanto o mais frio é "sugado" para a cavidade;

4. Quem vem lá
Sensores identificam a presença dos usuários na garagem e ligam e desligam a luz dependendo da necessidade;

5. Sol na cabeça
Painéis solares térmicos podem aquecer a água de torneiras e chuveiros, enquanto placas fotovoltaicas geram energia elétrica limpa para o uso cotidiano;

6. Deixe ela entrar
Vidros permitem a iluminação natural do ambiente. Por outro lado, podem aumentar a temperatura interna. Há soluções para isso, como os vidros de baixa emissividade (low-e), que refletem os raios solares, mas permitem a passagem de luz;

7. Vedete modernista
Muito aplicado pelo modernismo brasileiro, os brises são usados até hoje para controlar a incidência de luz. Inicialmente de concreto, eles foram ganhando versões em formas e materiais diversos;

8. Teto verde
Estudos apontam que o telhado vegetado pode diminuir em cerca de 5ºC a temperatura interna e reduzir em até 95% o ganho de calor. Além de melhorar o conforto térmico, a cobertura vegetal na laje pode ajudar com o isolamento acústico e a retenção da água das chuvas;

9. Quente-frio
Uma microunidade de geração a partir de gás natural fornece energia para o ar-condicionado. A alternativa pode representar uma economia de mais de 90% no consumo de energia, na comparação com fonte elétrica tradicional;

10. Luz esperta
As lâmpadas de LED são mais caras, mas duram 25 vezes mais que as incandescentes, e a economia na conta de luz pode chegar a 85%. Sistemas de controle automáticos detectam o nível de iluminação natural no ambiente para aumentar ou diminuir a potência das lâmpadas conforme a necessidade.

Educação a distância como ferramenta para a promoção da Sustentabilidade das Construções

A sustentabilidade em empreendimentos é, essencialmente, um tema multidisciplinar. 

São muitos assuntos inter-relacionados e profissionais de diferentes áreas envolvidos. A todos, é recomendada uma visão ampla dos processos de produção de empreendimentos e, ao mesmo tempo, conhecimento aprofundado das particularidades de cada sistema ou disciplina. Neste cenário, capacitação técnica adequada e atualização contínua são fundamentais.

Percebo claramente, nos trabalhos de consultoria em sustentabilidade que coordeno pela EcoBuilding, que a capacitação técnica e nível de informação na área dos profissionais envolvidos pode fazer toda a diferença na hora de viabilizar ou não a adoção de estratégias de sustentabilidade ou a obtenção de uma certificação ambiental de um empreendimento. Conhecimento importa, e muito.

Uma forma muito eficaz de se promover a capacitação técnica e disseminar informação e conhecimento na área é a educação à distância. Temos verificado que os cursos online que oferecemos pelo EcoBuilding Fórum, uma iniciativa pioneira no Brasil que em 2017 está em seu segundo ano, têm se mostrado muito úteis para centenas de profissionais, de dezenas de cidades (em vários países), que têm podido se aperfeiçoar profissionalmente, tendo acesso a conteúdos de alto nível e bem organizados, o que de outra forma seria, em quase todos os casos, impossível.

Especialmente para aqueles ainda não perceberam as oportunidades de aperfeiçoamento que a educação à distância oferece, recomendo que conheçam a programação de cursos EcoBuilding Fórum. São todos cursos voltados para temas relacionados à Sustentabilidade das Construções. Há muitas opções já em programação e muitas outras estão sendo preparadas.

A coisa toda funciona de forma muito prática. Os cursos são divididos em módulos de aulas semanais, que podem ser assistidas a qualquer momento, de qualquer lugar, quantas vezes quiserem, até por smartphone. Há sempre muito material de leitura complementar e o participante pode enviar consultas com dúvidas ao longo de todo o curso e até mesmo depois. 

Além disto, a partir deste mês de Julho 2017, alguns cursos (inclusive os meus) já estão disponíveis para início imediato. Ou seja, você confirma sua inscrição e já pode começar a assistir às aulas, a qualquer tempo. Esta é um dos muitos recursos (e vantagens) que a educação à distância oferece. Você não precisa aguardar a formação de turmas.

Há muitas outras. Estamos diante de uma nova forma de educar e difundir conhecimento.Compartilhem. Vamos promover a Construção Sustentável.


sexta-feira, 16 de junho de 2017

Participe da Missão Técnica GreenBuild Conference & Expo 2017 - Boston, 04 a 12 de Novembro

Estão abertas as inscrições para a Missão Técnica GreenBuild Conference & Expo Boston 2017.

Se você está envolvido ou pretende se envolver com a Construção Sustentável, deve considerar participar deste que é o maior evento do mundo na área, promovido anualmente pelo USGBC - United States Green Building Council

Este ano a feira ocorrerá em Boston, e a missão técnica da delegação brasileira, que está sendo preparada, por iniciativa do Departamento de Comércio do Consultado dos Estados Unidos no Brasil, com apoio do GBC Brasil, organização da ArqTours e consultoria técnica EcoBuilding, ocorrerá entre os dias 04 a 12 de novembro 2017.

A agenda da missão prevê, além de inscrição diferenciada para o evento, visitas técnicas exclusivas para a delegação brasileira, a empresas e empreendimentos seriamente comprometidos com a Sustentabilidade.

Para reservar vaga na delegação, favor entrar em contato com a ArqTours, para garantir condições iniciais para adesão. Mais informações pelo link da imagem que segue:


Veja, também, outros posts relacionados:



Missão Técnica CBIC - Boston e Nova York, Junho 2017

Caros,

Na semana passada, tive a honra e satisfação de acompanhar uma missão técnica internacional promovida pela CBIC - Câmara Brasileira da Industria da Construção, que congrega as entidades do setor em todo o país, com apoio do SENAI. 

A missão, organizada pela ArqTours by Raquel Palhares, envolveu visitas técnicas a empresas e empreendimentos de referência em Boston e Nova York, nos EUA, entre os dias 03 e 10 de junho 2017.

A viagem foi oferecida como parte das premiações aos vencedores da 21a edição do Prêmio CBIC de Inovação e SustentabilidadeCoordenado pela COMAT - Comissão de Materiais, Tecnologia, Qualidade e Produtividade da CBIC, o prêmio tem como objetivo reconhecer e divulgar soluções inovadoras que contribuam para a modernização da indústria da construção brasileira.

A agenda da missão foi montada tendo em mente o mesmo objetivo. 
O grupo, composto por profissionais engenheiros e arquitetos de 7 diferentes estados brasileiros e de distintas áreas de atuação, teve oportunidade de conhecer e se aprofundar em conceitos, técnicas e tecnologias tais como: 

A) BIM - Building Information Modeling aplicado a projetos de Arquitetura e Engenharia; 
B) Aplicações de realidade virtual e aumentada para a construção;
C) Soluções de projetos e tendências para green buildings, envolvendo inclusive visitas técnicas a empreendimentos em processos de certificação pelo novo sistema WELL;
D) Aplicações de sistemas eficientes para o uso de recursos como energia, água e mobilidade urbana.
E) Técnicas de construção industrializada.

Foi uma semana de intensas atividades que certamente foi enriquecedora para todos. 

Para mim, é sempre uma satisfação ter oportunidade de ajudar a organizar e acompanhar missões técnicas como esta e poder facilitar o acesso a informação qualificada e de alto nível a colegas do Brasil que poderão ajudar a promover o desenvolvimento sustentável do país.

Parabéns à CBIC pela iniciativa, 
em especial ao Dionysio Klavdianos e à Raquel Ribeiro pela diligência na condução do processo, e aos vencedores do prêmio pela conquista. Até a próxima!