segunda-feira, 13 de agosto de 2018

We are WELL

WeareWELL
Na semana passada fui aprovado no exame WELL AP. Orgulho em fazer parte de uma comunidade de 3.450 profissionais ao redor do mundo, o sexto no Brasil. Edifícios melhores para as pessoas e para o ambiente são também bons para os negócios. Este é o caminho a seguir.

Last week I passed the WELL AP exam. Proud to be part of a community of 3,450 professionals around the world, the sixth in Brazil. Better buildings for people and the environment are good for business, as WELL. That is the way to go. En la semana pasada fui aprobado en el examen WELL AP. Orgullo en formar parte de una comunidad de 3.450 profesionales alrededor del mundo, el sexto en Brasil. Edificios mejores para las personas y el ambiente son también buenos para los negocios. Este es el camino a seguir.

hashtagwellness hashtagbuildings hashtagbusiness

A indústria do bem-estar é das que mais cresce no mundo e, assim como a sustentabilidade, está sendo incorporada nas mais diversas atividades e esferas de gestão, em empresas, governos e até nos hábitos das pessoas.

Aos colegas do Design, Arquitetura e Construção que desejem saber mais a respeito recomendo uma oportunidade muito interessante que ocorrerá em novembro:

Missão Técnica LEED + WELL Experience. Mais informações aqui no blog em: Missão Técnica GreenBuild Chicago 2018 / LEED + WELL Experience NYC - Novembro 2018

Para incorporar o WELL em seus projetos / empreendimentos, consulte-nos: contato@ecobuilding.com.br

terça-feira, 31 de julho de 2018

Você conhece a certificação WELL?

A certificação WELL se refere a Bem-estar, Conforto e Saúde das pessoas nos ambientes construídos.

Trata-se da "segunda onda da sustentabilidade", segundo Rick Fedrizzi, fundador do USGBC, que criou o LEED, e atual CEO do International WELL Building Institute. (Veja aqui no blog link para entrevista que fiz com Rick Fedrizzi, em 2017)
Em novembro 2018, como parte da agenda da Missão Técnica para GreenBuild Conference & Expo Chicago 2018, teremos uma extensão a Nova York, com foco no WELL.

Além de visitar empreendimentos realizados e escritórios de projetos, teremos um workshop de um dia sobre o WELL, oferecido pelo próprio IWBI, exclusivamente para a nossa delegação do Brasil.



Venha fazer parte deste grupo e ajude a impulsionar a sustentabilidade para o próximo nível.

Mais informações aqui no blog em: Missão Técnica GreenBuild Chicago 2018 / LEED + WELL Experience NYC - Novembro 2018

quarta-feira, 25 de julho de 2018

Quer fazer uma cobertura verde e não quer infiltrações? Veja o passo a passo



“Sol, Espaço e Verde para Todos”, é um dos epítetos do Arq. Le Corbusier, quando identificou, em seus estudos, uma cobertura verde como a quinta fachada de uma edificação. Entretanto, para que ela possa ter isto, resistência à progressão de raízes e durabilidade são os principais requisitos técnicos a se observar, já que uma correta impermeabilização é pré-requisito para qualquer cobertura verde.
Assim, à ideia inicial de Le Corbusier podemos acrescentar os conceitos de “Green Building”, com as seguintes vantagens de uma cobertura verde:
  • Redução do custo de energia gasto com ar condicionado;
  • da quantidade de particulado sólido na atmosfera;
  • da velocidade no escoamento das águas pluviais;
  • da transmissão de ruídos;
  • de uma melhor qualidade de vida nos centros urbanos, com a redução de emissão de CO2;
  • e do aumento da vida útil da impermeabilização.
Mesmo com todas estas vantagens, todo mundo pensa duas vezes antes de executar uma cobertura verde, e o principal receio é o risco de infiltrações. Afinal, este é um local que quando não chove, colocamos água todos os dias!
Temos normas técnicas em vários países no Mundo com preocupação nas coberturas verdes e entre elas, podemos citar a norma italiana, UNI 11235:2015 –  Istruzioni per la progettazione, l’esecuzione, il controllo e la manutenzione di coperture a verde.
Esta norma define os critérios de projeto, execução, controle e manutenção das coberturas verdes, em função das particularidades do contexto climático, da edificação e da destinação de seu uso.
E com exigências mais severas, podemos citar a norma alemã, da FLL, Sociedade alemã para pesquisa e desenvolvimento da paisagem e paisagismo (Forschungsgesellschaft Landschaftsentwicklung Landschaftsbau e.V.).
Quanto ao desempenho de uma impermeabilização para suportar a agressão das raízes, podemos citar a norma italiana UNI EN 13948 – Determinazione della resistenza alla penetrazione delle radici, que trata dos requisitos a produtos impermeabilizantes com características antiraiz.
Cabe ressaltar, que apesar de termos tipos de impermeabilização com as características técnicas a se evitar a agressão por raízes, podemos afirmar que não temos normas técnicas, que contemplem a exigência ou parâmetro de desempenho à esta necessidade, no Brasil.
Podemos ter uma cobertura verde sim e vamos elencar os principais passos necessários e informações pertinentes para que possamos aproveitar todos os benefícios de um contato com a natureza, ao alcance de nossas mãos.
PASSO A PASSO PARA EXECUTAR UMA COBERTURA VERDE
Temos que começar sabendo se a laje e demais componentes da estrutura, suportam a sobrecarga com a introdução de uma cobertura verde e isto significa a consulta ao Engenheiro Estruturalista ou de se já ter esta previsão no cálculo estrutural da edificação.
A IGRA, International Green Roof Association, cita três tipologias principais, que são variáveis em função do porte da vegetação e da espessura do substrato, para o cultivo:
  • Extensivo: utiliza plantas rasteiras de pequeno porte. A carga prevista varia entre 60 kg/m² e 150 kg/m²
  • Semi-intensivo: tem vegetação de porte médio. A carga prevista varia entre de 120 kg/m² a 200 kg/m²
  • Intensivo: utiliza plantas de porte médio a grande. A carga prevista varia entre 180 kg/m² e 500 kg/m²
Com isto posto, podemos pensar na impermeabilização a ser realizada de acordo com as exigências e recomendações nas normas técnicas, ABNT NBR 9574:2008 (Execução de impermeabilização) e da ABNT NBR 9575:2010 (Impermeabilização – Seleção e projeto).
Essa última exige a aplicação de sistemas e produtos impermeabilizantes com proteção contra raízes, no caso de jardins, jardineiras, coberturas verdes.
Especial atenção no projeto de impermeabilização para compatibilizar as interfaces e respectivos detalhes executivos com os sistemas hidráulicos, elétricos e sanitários.
Começamos a execução da impermeabilização pela correta preparação do substrato, com uma argamassa de regularização com cimento e areia, traço 1:3, garantindo caimento mínimo de 1% para os ralos.
Lembro que os vazamentos ocorrem nos detalhes, portanto todos os arremates/fixações na estrutura, de bocas de ralo, tubulações (hidráulica e elétrica) emergentes, junção nos cantos de piso com parede, juntas de dilatação, detalhes arquitetônicos, entre outros, devem estar perfeitamente executados, antes da impermeabilização.
Ilustro que além do desempenho desejado à estanqueidade, a impermeabilização deve suportar às agressões das raízes, e as soluções comumente indicadas para impermeabilizar coberturas verdes são:
a) Manta asfáltica antiraiz, na qual um biocida é disperso em toda a massa asfáltica, com especial cuidados nas soldas das emendas e arremates.
b) Solução asfáltica antiraiz, aplicada na forma de pintura sobre a proteção mecânica de um outro tipo de impermeabilização (moldada “in loco” ou pré-fabricada), que não seja antiraiz. Esta pintura asfáltica, tem seu desempenho atrelado a ausência de trincas na proteção mecânica e a sua eficácia será diminuída ao longo do tempo, devido ao desgaste, desta película, pelo contato com a água de irrigação ou pluvial.
Após a execução da impermeabilização e sua respectiva proteção mecânica, sobre a superfície impermeabilizada, temos que prever as seguintes camadas:
  • Camada drenante, com brita graduada, para escoar as águas de chuva contínuas e evitar o encharcamento excessivo da terra;
  • Camada filtrante, com um geotêxtil, para impedir o tamponamento da camada drenante por acúmulo das partículas de solo;
  • Camada de terra, para compatibilização com a vegetação a ser plantada na cobertura verde; 
  • Camada de vegetação.
Fica ainda um último lembrete de que uma cobertura verde é um sistema aberto, sendo impossível evitar a entrada de sementes invasoras que chegam ao local pela ação dos ventos, aves e morcegos, portanto a qualidade/beleza de sua vegetação implica em um cuidado “ad eternum”.

Cumprida a primeira fase do processo de certificação AQUA-HQE da filial da Tereos em São José do Rio Preto/SP, com consultoria de sustentabilidade EcoBuilding


Na semana passada, cumprimos a primeira etapa do processo de certificação AQUA-HQE do empreendimento Business Service Center da Tereos Açúcar e Energia em São José do Rio Preto/SP, com a realização, bem sucedida, da auditoria de Pré-Projeto junto à equipe de auditores indicados pela Fundação Vanzolini, em São Paulo, com nossa consultoria de sustentabilidade EcoBuilding. 

A Tereos é uma multinacional francesa, com matriz em Paris que, além do açúcar, produzido continuamente e em larga escala nos canaviais paulistas, também produz energia elétrica a partir do bagaço de cana, em um processo que reaproveita totalmente o resíduo de matéria orgânica no processo e gera eletricidade em volumes excedentes em grande medida à sua demanda.

Com isto, a empresa, além de ser portanto autônoma em energia, com geração própria renovável, vende energia limpa no mercado livre brasileiro e ainda fornece gratuitamente energia elétrica a hospitais, escolas e outras entidades da região. A sustentabilidade para a Tereos é portanto, pode-se dizer, intrínseca ao seu negócio.

Quando nós apresentamos aos gestores a ideia de adotar a certificação AQUA-HQE, criada no Brasil a partir do referencial francês HQE, para o novo edifício de escritórios da empresa em São José do Rio Preto (uma unidade dedicada a atividades administrativas para uma parcela da equipe), a coisa pareceu fazer todo sentido.

O edifício, com aproximadamente 2.500 m2 de área construída, foi projetado pelo arquiteto local Daniel Ribeiro, está sendo construído pela G5 Construtora e será o espaço de trabalho para 200 profissionais.

Diversas estratégias de sustentabilidade estão previstas e estão sendo implementadas como, por exemplo: Uso de energia solar fotovoltaica e solar térmica para abastecer os chuveiros que atendem aos vestiários que dão apoio aos ciclistas, que contarão com bicicletário para mais de 30 racks, equipamentos de ar condicionado e iluminação de alto desempenho energético e funcional, vidros de alta performance, estratégias para minimização e neutralização dos resíduos de obra (para o que contribui fundamentalmente as estruturas pré-fabricadas em concreto), materiais de conteúdo reciclado e baixo (ou nenhum) conteúdo de COV´s, dentre muitas outras.



Trata-se de um empreendimento que pode ser considerado um caso de sucesso, justamente por que é um edifício de proporções e orçamentos normais, no sentido de que não apresenta números especialmente espetaculares, mas demonstra que, ainda assim, é possível se alcançar elevados desempenhos ambientais, para benefício dos usuários, da empresa, do entorno imediato e do meio ambiente como um todo.

Estamos felizes em poder colaborar para a realização de mais este empreendimento sustentável. 

Consulte-nos caso possamos ajudar a implementar a sustentabilidade em seus projetos, sejam eles de empreendimentos normais ou especiais: contato@ecobuilding.com.br / +55 11 2218 0277.

Para saber mais sobre o Processo AQUA-HQE, recomendo o Curso Online EcoBuilding Fórum: Aplicação do Processo AQUA-HQE Habitacional.

Para outros curso online sobre Construção Sustentável: www.ecobuildingforum.com.br.

quinta-feira, 31 de maio de 2018

Novo curso EcoBuilding Fórum: Certificações Ambientais para Empreendimentos Sustentáveis - Lançamento: Junho 2018

Você conhece certificações ambientais de empreendimentos sustentáveis?
Sabe em que casos elas podem ser aplicadas e quais oportunidades e benefícios podem proporcionar?
Quanto custam? Valem a pena?
Como é o mercado nesta área?
Como certificar meu empreendimento?
Estas são questões usuais quando se fala em certificações para Green Buildings, ou selos para a Construção Sustentável. Muito se fala a respeito e, frequentemente, opiniões pouco fundamentadas são compartilhadas. Muita gente não tem ideia dos resultados que podem atingir com seus projetos, muitas vezes de forma simples, técnica e economicamente viável.
Para ajudar os colegas profissionais da área a se informarem e a adquirirem segurança para falar a respeito junto a seus clientes e para que se forme uma base consistente para a tomada decisão quanto aos investimentos na área, estamos lançando este mês de junho 2018 um novo curso do EcoBuilding Fórum:
São muitas as experiências compartilhadas no curso, que aborda todos os aspectos e certificações a serem considerados e é ricamente ilustrado com casos realizados diversos, no Brasil e no mundo.
Trata-se de um curso rápido, focado no assunto das certificações, com 12 módulos.
As vídeo-aulas podem ser assistidas quando e quantas vezes o participante quiser e é oferecido serviço de tutoria tira-dúvidas.
As inscrições estão disponíveis a partir de 01/06, sexta-feira, com condições especiais de lançamento.
Compartilhem com aqueles que podem se interessar.
Outras novidades serão incorporadas aos programas do EcoBuilding Fórum.
Mantenhas-se informado(a) cadastrando-se pelo site: www.ecobuildingforum.com.br.
Até breve.
Prof. Arq. Antonio Macêdo Filho
LEED AP BD+C / DGNB Consultant
Diretor, EcoBulding Consultoria
amacedo@ecobuilding.com.br

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Missão Técnica GreenBuild Chicago 2018 / LEED + WELL Experience NYC - Novembro 2018


Se você é (ou pretende ser) um profissional atuante na Arquitetura e Construção Sustentável, deve considerar participar da delegação brasileira para a GreenBuild Conference & Expo, maior evento do mundo dedicado ao tema dos Green Buildings, que este ano acontecerá mais uma vez em Chicago, em novembro.
Toda a comunidade envolvida no assunto se encontrará neste grande evento: indústria, experts, estudiosos e acadêmicos, grandes nomes da arquitetura e engenharia estarão presentes discutindo e trazendo à tona os ideais e a paixão pela sustentabilidade nas construções.
Chicago é uma das mais importantes cidades das Américas, conhecida por ser o berço dos arranha-céus e de grandes nomes do design internacional. Cosmopolita e contemporânea, é também um rico centro cultural e acadêmico, além de contar com muitas sedes de empresas e instituições de diversos setores, muitas delas de atuação global. 

Orgulha-se também de ser líder mundial em edificações sustentáveis, considerando-se a quantidade de empreendimentos certificados LEED. Muitos destes são referências internacionais em sustentabilidade e serão abordados na agenda desta Missão Técnica, como parte da programação exclusiva de visitas técnicas conduzidas pela equipe de especialistas da ArqTours, agência especializada na área.

Os participantes desta Missão contarão também com apoio e benefícios exclusivos oferecidos pelo Departamento de Comércio dos EUA no Brasil, que promove e apoia o programa.

Como já pudemos verificar em várias edições anteriores, será certamente uma semana de intensas atividades, rica em experiências para todos os participantes. 

Para mais informações e reservas de vagas, entre em contato com:

Arq. Raquel Palhares
+55 11 99285-4554


 
Este ano, a delegação para a GreenBuild prevê também uma extensão mais que especial:


Missão Técnica Green Buildings em Nova York: LEED + WELL Experience, que ocorrerá em novembro de 2018, na semana seguinte à GreenBuild Conference & Expo 2018, que ocorrerá em Chicago, irá abordar os novos conceitos que estão pavimentando o caminho para o futuro da Construção Sustentável.

Paralelamente à consolidação do mercado dos Green Buildings, está também ocorrendo uma renovação na forma como as pessoas se relacionam com o trabalho e as empresas e seus espaços de trabalho estão tendo que se adaptar e flexibilizar para se adequarem às transformações que as tecnologias e novos modos de vida estão provocando. Afinal, passamos mais 90% das nossas vidas em ambientes construídos. Neste contexto, é primordial que os ambientes em que vivemos e trabalhamos também promovam qualidade de vida, a saúde e bem estar das pessoas.

Certificação WELL


O sistema de certificação de empreendimentos WELL Building Standard é o primeiro instrumento a fornecer métricas claras para aferir a qualidade dos ambientes em relação aos impactos que provocam nas pessoas em relação à saúde e o bem-estar.

É um sistema voluntário, baseado em evidências, para medir, certificar e monitorar o desempenho de características de construção que afetam a saúde e o bem-estar e tem sido adotado por empresas em vários países como forma de comprovar, além de liderança e inovação, responsabilidade ambiental e social, ao passo em que promovem espaços saudáveis e de mais qualidade ​​para os usuários, agregando produtividade e conforto, o que inclusive gera melhores resultados, além de promover a imagem da corporativa dos empresas, em relação aos seus colaboradores e o público geral.

Nesta missão técnica inovadora, vamos conhecer os conceitos da adoção de critérios de bem-estar e construção saudável, ilustrados com visitas a empreendimentos certificados WELL, selo promovido pelo 
IWBI - International WELL Building Institute, que inclusive apoia esta iniciativa, e que irá também oferecer um treinamento (workshop) sobre a certificação WELL, exclusivo para os participantes da delegação, presencial (em inglês), com certificado emitido pelo IWBI.

Segundo Rick Fedrizzi, co-fundador e CEO do USGBC por mais de 16 anos, um dos criadores do LEED e que agora é Chairman e CEO do IWBI, entidade que promove o WELL, trata-se de fato da "Nova Era da Sustentabilidade". 

É o que se está chamando de Construção Saudável. Claramente, é o caminho a ser seguido.

Trata-se de um programa exclusivo, de alto nível, para proporcionar atualização e experiências de fato enriquecedoras, que renovarão seus propósitos na sustentabilidade para as construções em futuros projetos, incorporando o que há de mais avançado em construção sustentável (e saudável), no mundo.

Para aproveitar esta oportunidade, entre em contato com:

Arq. Raquel Palhares
+55 11 99285-4554