sexta-feira, 13 de abril de 2018

Por que Construção Sustentável? Perguntas e Respostas

Por que construção sustentável?
Vale a pena adotar uma certificação de Green Building?
Eu que preciso fazer para avaliar se daria certo para o meu projeto?
Quanto custa?


Estas são algumas das perguntas mais frequentes que surgem quando lidamos com profissionais envolvidos com projetos, no que se refere ao assunto da sustentabilidade das edificações.

Muitos empreendedores ainda se sentem inseguros em adotar estratégias de sustentabilidade e certificações  ambientais, normalmente por não conhecerem muito a respeito e não conseguirem receber respostas adequadas e consistentes para estas e outras questões.

Posso afirmar com total segurança: Construir de maneira sustentável é o caminho a ser seguido pela indústria da construção. É necessário, se quisermos alcançar o Desenvolvimento Sustentável. E é um caminho sem volta. 

Os benefícios são de fato relevantes, promovem resultados de curto, médio e longo prazos, não apenas sob o ponto de vista operacional, mas também em relação à qualidade dos espaços, valorização patrimonial e da própria imagem dos proprietários e usuários dos empreendimentos.

É preciso que tenhamos dados, informação e capacitação técnica adequadas, além de percepção clara das oportunidades para se fazer melhores negócios e das possibilidades e recursos disponíveis, para que possamos dar segurança aos tomadores de decisão em seguir com as iniciativas nesta área. 

Muitas vezes a questão sequer é de falta de recursos financeiros, mas sim de simples falta de informação ou ainda por uma questão de mentalidade do gestor, esta mais difícil de superar (mas que também ocorre, felizmente).

Para ajudar aqueles que se deparem com oportunidades que estão nas mãos de tomadores de decisão inseguros ou mesmo resistentes em aderir ao inexorável apelo da sustentabilidade, seguem algumas respostas às dúvidas mais comuns que percebemos ao longo dos anos, na consultoria e também no ensino em nível de pós-graduação na área, que normalmente surgem nos casos em que os envolvidos terão o seu primeiro contato prático com o desenvolvimento de um projeto de um empreendimento sustentável:

1 - O que são certificações ambientais de empreendimentos?

Certificações ambientais são instrumentos de confirmação e validação da implantação de estratégias de sustentabilidade por empreendimentos que atendam a uma série de critérios de desempenho específicos, que são emitidos por entidades de terceira parte, com credibilidade nacional e internacional. As mais conhecidas e utilizadas no Brasil são o LEED (EUA) e o AQUA-HQE (Brasil/França), além do PBE Edifica (Programa Brasileiro de Etiquetagem de Edificações).

Recentemente, outras certificações mais novas estão também ganhando espaço como o Referencial GBC Brasil Casa e Condomínio, promovido pelo Green Building Council Brasil, e as internacionais BREEAM (Reino Unido), DGNB (Alemanha), Living Building Challenge e WELL (EUA), estas últimas voltadas para a promoção de empreendimentos que, além de eficientes, promovem também qualidade de vida e bem-estar, e que apontam para novos caminhos em direção à sustentabilidade plena.

2 - Quais os benefícios?

Empreendimentos sustentáveis, ou “
Green Buildings”, são aqueles projetados e construídos atendendo-se critérios de sustentabilidade claramente identificados pelos processos de certificação ambiental. Destacamos aqui alguns dos principais benefícios esperados:
  • Menor impacto ambiental direto (controle da implantação, permeabilidade, gestão de águas pluviais e residuais, de resíduos sólidos) e indireto (redução de emissões de CO2, controle de origem e destinação de materiais, redução da pressão sobre redes de energia, água, transportes e serviços de coleta de resíduos), dentre outros.
  • Menor consumo de energia e água (entre 20 e 50%). Em condomínios, pode significar uma redução da taxa condominial de mais de 25%.
  • Processo de Projeto Integrado, com projetos de mais qualidade, precisão e compatibilização entre as diversas disciplinas envolvidas, o que impacta em menos retrabalho na obra, mais qualidade da execução, segurança quanto ao cronograma de entregas e de orçamentos.
  • Melhor gestão de obras, com benefícios importantes em limpeza da obra e entorno do empreendimento, controle da recepção, guarda e aplicação de materiais, redução, controle e adequada destinação de resíduos, o que se reflete em economia de recursos materiais e financeiros e redução de perdas e desperdícios);
  • Melhor gestão da operação do empreendimento, em relação a equipamentos como ar condicionado, automação, iluminação, irrigação, elevadores e eletrodomésticos, por exemplo (o que também se reflete em menores taxas operacionais/condominiais);
  • Promovem espaços de mais qualidade, por exemplo em relação à qualidade da iluminação (natural e artificial), qualidade do ar e acústica, escolha e aplicação de materiais não nocivos à saúde e ao meio (o que se reflete em conforto, saúde, bem-estar e produtividade);
  • Promovem a valorização do empreendimento (pelo menos 20% na venda), além de menor depreciação e maior valorização de taxas de locação.
  • Associação a uma imagem de pioneirismo e liderança;
  • Visibilidade e credibilidade junto ao mercado com relação à implantação de estratégias sustentáveis;
  • Podem se beneficiar de políticas públicas de incentivo à construção sustentável, como o “IPTU Verde, já aprovado em muitas cidades, e que inclusive possibilitam aprovação facilitada e agilizada, em certos casos.
  • Podem se beneficiar de incentivos financeiros com a obtenção de taxas de financiamentos reduzidas, por meio de linhas específicas para “Projetos Sustentáveis”, oferecidas por muitas instituições bancárias, públicas e privadas.
3 - Quanto pode custar?

Ao contrário do que muitos ainda pensam, o custo adicional para se fazer um “Green Building” pode ser muito pequeno (ou até nulo), em relação a edifícios tradicionais. Pesquisas realizadas por organismos internacionais e também brasileiros confirmam que, em média, empreendimentos sustentáveis têm custo adicional inferior a 2% do valor da obra. A incorporação de estratégias de sustentabilidade, previstas na fase de projetos, de maneira integrada, traz benefícios que suplantam, em muito, eventuais incrementos de custos. Mais informações aqui.
Tanto em grandes empreendimentos quanto em pequenos projetos, diversas técnicas e estratégias de baixo custo são viáveis para se promover melhores desempenhos, tanto na fase de projetos quanto na fase obras, mas também na operação, ao longo da vida útil do empreendimento. Nosso compromisso é identificar as melhores opções, definir como implantá-las, orientar e acompanhar a implantação, sempre tendo em mente a busca do melhor custo-benefício e do sucesso de uma iniciativa para a Construção Sustentável.
4 - Como funciona o processo?

Para dar segurança ao investidor, recomendamos que se faça, como etapa 1 do processo, um Estudo de Viabilidade Técnica, específico para o empreendimento considerado, que inclusive pode ser contratado separadamente, de forma que se obtenha subsídios consistentes para uma tomada de decisão segura quanto à continuidade do processo de certificação do empreendimento, uma vez que se identificará os potenciais e as oportunidades para implementação de estratégias de sustentabilidade mais aplicáveis ao caso específico, com uma ideia clara quanto aos custos envolvidos, assim como os resultados e benefícios que se poderá alcançar. 

Com os EVT´s teremos condições de:

  • Identificar os potenciais e oportunidades para a adoção de boas práticas e estratégias de sustentabilidade que seriam as mais viáveis para serem implementadas para os empreendimentos;
  • Estabelecer o nível de complexidade para atendimento de cada aspecto (créditos ou categorias) do processo de certificação escolhido;
  • Definir, juntamente com a sua equipe de gestores, projetistas e construtores, aquelas estratégias que seriam efetivamente adotadas para o empreendimento (e também as que não seriam);
  • Estabelecer um nível de desempenho atingível pelo(s) empreendimento(s) e uma meta alcançável para os processos de certificação, com o melhor custo-benefício possível;
  • Identificar oportunidades de incorporação dos benefícios do processo na comunicação e promoção do(s) empreendimento(s), junto às equipes de marketing e vendas;
  • Estabelecer critérios e diretrizes de sustentabilidade que irão orientar a contratação de projetistas, construtores e instaladores;
  • Estimar os custos envolvidos no processo.
Este é o ponto de partida para um Processo de Projeto Integrado, na etapa seguinte, Desenvolvimento de Projetos Executivos. Desta forma, todos os envolvidos saberão qual o seu papel, onde deveremos chegar com os projetos e por quais caminhos. Estamos seguros em afirmar que a relação de custo-benefício deste processo é extremamente favorável, com benefícios claros e palpáveis, não apenas nos projetos, mas também nas obras e na operação do empreendimento (mais informações pelo link indicado).

O processo segue então para o acompanhamento da execução das obras ou implementação das medidas propostas na fase de projetos, com vistorias técnicas frequentes, bem como atendimento remoto para assessoramento às equipes de obras e de gestão, ao longo de todo o processo até após a entrega do empreendimento.

Durante todo o período, um conjunto volumoso de documentos é preparado e compilado para então procedermos à apresentação da documentação ao órgão certificador para certificação. A partir de então passamos a acompanhar o processo junto ao órgão certificador para prestar os esclarecimentos que sejam necessários para que consigamos então obter a certificação.

5 – É preciso ter gente especializada na área em minha equipe?

Embora seja recomendável, não precisa. Temos trabalhado com muitos clientes “de primeira viagem” na área e estamos bem habituados a lidar com equipes de gestores, projetistas e construtores que, mesmo sem experiência anterior, com nosso acompanhamento, orientação e suporte, dão conta de absorver e implementar as boas práticas que favorecem o atendimento aos requisitos dos processos de certificação, com muitos benefícios para todos os envolvidos.

Atuamos como consultores, apoiando o desenvolvimento de projetos e a execução dos empreendimentos, em colaboração com as equipes de gestão, projetistas e construtores, bem como também as de comunicação, marketing e equipes de vendas (corretores), na busca da incorporação de estratégias de sustentabilidade que sejam consideradas as mais viáveis para cada caso, e de forma que se possa agregar valor ao negócio e empreendimentos, inclusive na percepção destas estratégias por parte do mercado e público consumidor.

Contamos com uma equipe especializada com consultores locais em vários Estados Brasileirosque, ao longo dos processos (que podem levar alguns anos, em muitos casos), dedica boa parte do tempo à orientação e capacitação dos envolvidos.


Além disto, também oferecemos cursos presenciais e online, de atualização e capacitação profissional sobre temas relacionados à Construção Sustentável, pelo EcoBuilding Fórum, como por exemplo os seguintes, dentre outros:

 

Construção Sustentável - Como Projetar e Construir Green Buildings – Prof. Antonio Macêdo Filho, LEED AP BD+C


Construir de maneira sustentável é o caminho. A construção sustentável faz sentido econômico, promove melhores desempenhos ambientais e sociais a agrega valor à imagem de empresas de quaisquer setores.

Na EcoBuilding Consultoria, defendemos e praticamos o que chamamos de “Sustentabilidade Possível”, viável técnica e economicamente, e estamos certos de que nosso trabalho agrega valor aos negócios dos nossos clientes e parceiros (razão pela qual retornam e não mais deixam de seguir o caminho da sustentabilidade).

Consulte-nos. Vamos viabilizar o seu empreendimento sustentável.

Arq. Antonio Macêdo Filho
LEED AP BD+C / DGNB Consultant

Nenhum comentário: