terça-feira, 1 de novembro de 2016

Novas certificações e o amadurecimento do mercado da Construção Sustentável no Brasil

Delegação Brasileira para a GreenBuild 2016, no
Los Angeles Convention Center 
Neste mês de outubro tive oportunidade de participar de mais uma edição da GreenBuild Conference and Expo, realizada em Los Angeles, Califórnia, liderando uma delegação de profissionais do Brasil em uma missão técnica que envolveu também visitas em São Francisco e Vale do Silício, organizada pela ArqTours com apoio do Dep. de Comércio do Consulado dos EUA no Brasil.

Na ocasião, tivemos contato mais próximo com profissionais envolvidos e pudemos conhecer alguns casos de sucesso de aplicações de novas certificações ambientais de empreendimentos sustentáveis, que inclusive estão também começando a ser aplicadas no Brasil, razão por que julgo oportuno comentar aqui.

Com Mahesh Ramanujam, Presidente
do GBCI e COO do USGBC
A certificação LEED, como provavelmente sabem, segue em expansão em todo o mundo, e também no Brasil, marcando passo e liderando o movimento em direção à popularização da construção sustentável. Tenho percebido, estimulado e contribuído, como professor e consultor para processos de certificação, juntamente com nossa equipe da EcoBuilding, que a aplicação do LEED está também sendo difundida em casos de empreendimentos menores, de padrão médio, promovidos por empreendedores médios e até pequenos, que perceberam que podem também se beneficiar das vantagens que o processo promove.

Estamos também atuando em processos de certificação AQUA-HQE de empreendimentos que aderiram ao programa Minha Casa, Minha Vida, do segmento econômico, portanto, mas que também têm ganhos em valor agregado decorrentes dos benefícios que serão alcançados, e também com alguns casos para os quais estamos aplicando o Referencial GBC Brasil Casa, que está sendo evoluído para envolver também Condomínios Sustentáveis.

Mas está também ocorrendo um movimento em direção a uma ainda maior diversificação das opções em se tratando de certificações ambientais de empreendimentos sustentáveis. 

No primeiro semestre de 2016, foi concluído o primeiro caso de residência certificada LEED for Homes no Brasil, em São Paulo, demonstrando ser possível a aplicação do sistema no país (Parabéns, Lourdes e Cristina).

Há um par de meses, foi concluído o processo de certificação do primeiro caso de empreendimento certificado BREEAM In-Use na América do Sul, uma propriedade do SEBRAE em Cuiabá, MT (Parabéns, Lilian. Congrats, Cris). O BREAAM é a pioneira das certificações, criada em 1990 pelo BRE - Building Research Establishment, renomado centro de pesquisas da construção britânico. Há pelo menos mais um outro caso em andamento no Brasil, até onde sei.

Com Jason McLennan, criador do Living Building Challenge
e fundador do International Living Future Institute
Há pouco tempo, fomos consultados sobre um caso de um empreendimento para a saúde no Sul do Brasil, cujas obras se iniciarão em breve, e que será certificado LEED e também Living Building Challenge, certificação de origem também estadunidense, considerada de terceira geração, e que preconiza o conceito do edifício de impacto zero, neutro, se possível, em energia, água e resíduos. É um desafio e tanto (Parabéns, Arthur e Adriana pela iniciativa. Espero que dê certo).

Com Stephen Brown, Vice-Presidente da Delos,
criadora da certificação WELL
e do International WELL Building Institute 
Mais recentemente ainda, neste mês de outubro 2016, foi confirmada a certificação do primeiro empreendimento WELL do país, os escritório da Setri Consultoria em São Paulo (Parabéns Marcos, Eduardo e Luíza). A certificação WELL avalia e premia estratégias que promovam a qualidade dos ambientes, a saúde, o bem-estar e a qualidade de vida das pessoas. Entendo se tratar de uma evolução importante, e um estímulo ao desenvolvimento de cada vez melhores projetos. Tive oportunidade de visitar alguns casos certificados WELL em Los Angeles este mês durante a GreenBuild e posso afirmar que de fato são mesmo muito bons.

Também este mês foi lançada no Brasil, numa iniciativa da CBIC - Câmara Brasileira da Indústria da Construção, a certificação EDGE, sistema de identificação de Green Buildings que utiliza um software gratuito e que promete simplificar (e baratear) o processo de certificação de empreendimentos sustentáveis, tornando-o acessível a um número ainda maior de empreendedores. Trata-se de um sistema que tem sido muito bem aceito, em especial em países em desenvolvimento.

Estamos também presenciando um verdadeiro pipocar de iniciativas de políticas públicas municipais para incentivos à construção sustentável, que certamente repercutirão em ainda maior número de municípios por todo o país, com as novas gestões que tomarão posse em janeiro de 2017.

São indicadores que considero relevantes. Acredito que estamos diante de um novo patamar no mercado da construção sustentável no Brasil, que assim se consolida como a principal referência no continente sul-americano. Estamos presenciando o amadurecimento do mercado e a consolidação da percepção da importância da construção sustentável para os negócios na indústria da construção, em diferentes segmentos.


Estou certo de que, com a retomada do crescimento da economia brasileira em 2017, com maior consciência e percepção de valor na sustentabilidade e mais opções de sistemas de certificação para Green Buildings, teremos condições dar maior impulso ao setor da construção sustentável no Brasil e colaborar de forma ainda mais efetiva para o desenvolvimento sustentável do país.

Em tempo: Comento que estamos trabalhando para oferecer ao mercado, já a partir do início de 2017, pelo EcoBuilding Fórum, oportunidades de aprofundamento e capacitação técnica em todos estes sistemas de certificação, inclusive com cursos online, bem elaborados por profissionais especialistas em cada tema. Cadastre-se pelo site para se manter informado: www.ecobuildingforum.com.br.

Até breve.

Nenhum comentário: